25.5.08

Verdade nua e crua

A verdade é uma imperatriz. E das mais poderosas.
É inabalável, incontestável. Implacável. Por onde passa, conquista.
Chega repentinamente e deixa todo mundo rendido. Forçado a dar o braço a torcer.
Nos transforma em reles fantoches. Faz a gente rir, chorar, impressiona, surpreende. Assusta. Mais que mudar o nosso jeito de pensar, pode mudar a nossa vida.
Foi o caso da mexicana Frida Kahlo. As verdades a fizeram sofrer e virar uma das maiores pintoras do século 20. Com a técnica da gravura, Frida retratou as grandes verdades da vida dela. E provou que a verdade dói. Como dói.

Aos 18, o bonde onde viajava chocou-se com um ônibus, e uma barra de ferro atravessou-a, entrando pela bacia e saindo pela vagina. Começou a pintar na cama, com a coluna quebrada.




Como se não bastasse, as sequelas do acidentes reduziram as possibilidades dela realizar seu maior sonho: ser mãe. Ela tentou e sofreu três abortos.


Parecia, inclusive, que ela mesma gostaria de ter morrido antes de nascer.



E a mãe da Frida morreu enquanto ela pintava este quadro. Por isso, sua cara está tapada com um lençol.


O quadro do nascimento está meio macabro, também, porque Frida se sentia rejeitada pela mãe. Quando sua irmã nasceu, 11 meses depois dela, foi amamentada pele peito materno. Enquanto Frida foi repassada para uma ama de leite.




Ela teve uma grande paixão na vida: o renomado muralista Diego Rivera. Só que ele tinha muitas amantes e Frida não aceitava sua infidelidade. Era como ter uma faca cravada no peito.


Ou melhor, várias.





E a separação do marido foi tão impactante, que ela teve que pintar outro auto-retrato.



Depois de acidentes, abortos, traições e separações, frida pintou o quadro "Sem esperanças".




Seus quadros são sua biografia. Mostram o que realmente aconteceu na vida dela. O que ela não pode negar nem ignorar. O que era tão verdadeiro que causou dor física. E é impossível ficar indiferente à dor. É impossível ficar indiferente a uma traição. É impossível ficar indiferente à verdade nua e crua.


4 comentários:

Pinky disse...

É impressionante o impacto que as obras tem. Dúvido que alguém olhe e não se comova com a história.

Beto Bina disse...

Parabéns pelo post.
Parabéns pelo blog!!!
O que aprendi tropeçando: é que podemos ser produtivos nos momentos ruins, utilzar a depressão como forma de expressão, mesmo que não chegue nem aos pés (ou ao bigode) da Frida.

Bárbara disse...

Impressionante! Nunca vi tanta verdade em uma obra. Não conhecia a história dela, só sabia que ela pintava auto retratos... Realmente é impressionante!

Parabéns pelo post e pelo blog, amor!

Bjs

uyu disse...

impressionante